[Resenha do Leitor ] Todo dia - David Levithan

E hojé além de ser véspera de Natal  também é dia de resenha do leitor , essa coluna que eu amo!! Então, a resenha de hoje ficou a cargo da nossa parceira Naty Rangel do blog ( @www.livrosdanatyrangel.blogspot.com.br ) e do instagram (@livrosdanatyrangel). Confiram que resenha linda, um verdadeiro presente de Natal!!!!




Sinopse:

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.


Minha Opinião:


Todo mundo é um pouco criativo, mas David Levithan é a personificação da criatividade.
Bom deixe-me explicar. Eu troquei o livro Todo Dia com uma menina no Skoob. Não estava dando muita chance para ele, mas devo confessar que a sinopse e o início do livro me chamou atenção e me deixou muito curiosa.

"Acordo.Imediatamente preciso descobrir quem sou. Não se trata apenas do corpo. O Corpo é a coisa mais fácil à qual se ajustar quando se está acostumado a acordar em um corpo novo todas as manhãs. É a vida, o contexto do corpo, que pode ser difícil de entender."

E ai? Fala a verdade, não te deixa curioso?
Bom, A, o personagem da história,não é homem e nem mulher, não é negro nem branco nem asiático,... Ele não verdade é tudo isso. Cada dia A acorda no corpo de uma pessoa que nunca se repete. As vezes num bairro mais distante, outro mais próximo, mas sempre na mesma faixa etária que ele. Dezesseis. A sempre viveu assim e até certo ponto de sua vida sempre achou que todos eram assim até ter idade suficiente para entender que só a vida dele não dava continuidade, sua vida sempre recomeçava no dia seguinte. Vida nova, corpo novo, família e amigos novos.
Ainda assim ele não reclamava de seu destino, aprendeu que mudar a vida de uma pessoa por um dia pode colocá-lo em perigo e até a própría pessoa que ele habitou, então ele simplesmente acessava as memórias e tentava não sair do intinerário que a pessoa normalmente seguia.
Amei como o autor explicou a existência de A, a forma dele pensar em cada dia como um dia unico e nunca pensar em como seria se sua vida tivesse continuidade, como se no dia seguinte seus pais fossem os mesmos, sua escola, seus amigos...


As pessoas não dão valor à continuidade do amor, assim como não dão valor à continuidade do corpo. Não percebem que a melhor coisa sobre o amor é sua presença constante. Assim que você estabelece isso, sua vida ganha uma base extra. Mas se você não pode ter essa presença constante, só tem uma base para sustentá-lo, sempre.”
David Levithan também fala um pouco de homossexualidade e dedica uma boa parte para falar de religião ja que esta "alma" (foi como escolhi imaginar que ele/ela seja) vive no corpo de pessoas com diversas religiões então ele tem seu próprio jeito de pensar sobre a fé.

"Não tenho coragem de dizer a ele que esse é o jeito errado de pensar sobre o mundo. Sempre haverá mais perguntas. Todas as respostas levam a mais perguntas. O único meio de sobreviver é abrindo mão de algumas."


Tudo mudou quando ele habitou o corpo de Justin, pois A, apesar de nunca se apegar às suas vidas sentiu-se diferente ao conhecer Rhiannon, namorada de Justin. A atração que ele sentiu pela garota fez com que sua vontade de se aproximar ficasse tão insuportável que ele finalmente vai procurá-la no corpo da menina que naquele dia ele habitava.


“... O modo como me inclui, como acolhe essa total estranha e como faz com que se sinta parte deste mundo me faz gostar ainda mais dela. Uma coisa é ser amável com seu namorado; outra coisa é agir do mesmo modo com uma garota que nem conhece. Já não acho que ela só esteja sendo útil. Ela está sendo boa. O que é mais um sinal de caráter do que mera gentileza. A bondade tem a ver com quem você é, enquanto a gentileza tem a ver com o modo como quer ser visto.”

''Quando você experimenta algo grandioso, o momento persiste em toda a parte para a qual você olha, e quer ocupar todas as palavras que você diz."

Agora A quer contar a Rhiannon a verdade e declarar seu amor a ela, mas será que é justo ele roubar um dia de vida das pessoas para que ele possa ficar com Rhiannon?
Essas entre muitas outras coisas que não vou dar spoiler me prenderam ao livro de tal forma que quando terminei a leitura com os olhos inchados de tanto chorar demorei mais de uma semana para conseguir pegar em outro livro, acredita?

1 Comentários:

  1. Aah que linda minha resenhaa! Espero que seus seguidores também gostem!! *-*
    Vcs arrasam!!

    ResponderExcluir

 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!